Regilene Rodrigues Neves é poetisa amadora, funcionária pública municipal, exercendo função no fórum da cidade há 13 anos, nascida em Goiânia-Goiás, em 05 de novembro de 1962, atualmente morando em Acreúna-Goiás, viúva, mãe de um casal de filhos, 2º grau incompleto. Descobrindo o dom da poesia na fase escolar e desenvolvendo-a no decorrer da vida e suas lições, tendo participado de concursos no sudoeste de Goiás, com classificações 2º e 5º lugares em Rio Verde-G0., em dois concursos e 3º em Jataí-Go., agora mostrando seus trabalhos através da internet, nos sites: www.recantodasletras.com.br; www.ferool.info; www.poetasdelmundo.com/verInfo_america.asp?ID=1317.



Felicidade
Autora – Regilene Rodrigues Neves

Mais um dia aconteceu numa linda manhã
A felicidade dançou no universo
Existiu na poesia, num verso de Deus!

Esteve o amor nas pequeninas coisas
Que ninguém percebera...
Exalou tanta beleza
Resgatou purezas
Semeou na terra
Luziu em estrelas no céu
Soltas ao léu...

Derramou nas cascatas
Matou a sede
Banhou a vida
Molhou o solo
Germinou a rosa
Exalou perfumes
Enfeitou jardins...

A felicidade
O tempo todo partilhando conosco...
Uma sombra desenhando
Nossa forma perfeita
Em semelhança do Criador

Perseguida e idolatrada
De uma forma sagrada
Comungada por tempo e templos
Da alma e dos sonhos...

Uma esperança tão nossa
Vibrando... Pulsando...
Entranhada no peito
É força, fôlego que sustenta,
Carências frágeis por existências...

Sobrevive por utopias e orbes do destino
Acalenta... Abraça o coração...
Mesmo que a neblina persista
Em rastos de solidão...

A face se ilumina
Os olhos transpõem
Os poros se abrem
Embriagados de alegria
É um novo dia
Com ela alado caminhando
Por estradas de felicidade...

Toca-nos de certeza Divina
Como a Fé que sustenta o ancião peregrino...

É a felicidade nosso arrimo
Garrida de emoções
A perseguimos...
Mas o tempo todo ela esteve crescendo ao nosso lado 
Amadurando para nossa percepção de senti-la.

Ela me acaricia me envolve de amor
Tem sede de ser minha
Como eu de pertencer-lha
Sinto seu cheiro uma fragrância
Com essências da alma
Aroma de felicidade impregnada
Em fonte inesgotável de vida!


Criada em 17 de abril de 2006

Felicidade a todos os filhos do grande universo.



Almas de Flores
Autora - Regilene Rodrigues Neves

Tem pessoas que entra na vida da gente como flores
Exalam perfumes em nossa alma
Por simplesmente serem puras
Por carregarem um bem querer natural
No seu espírito de luz... Exalam fragrâncias
Por onde quer que vá... 

Esparramam na gente, pétalas coloridas
E nos faz sentir no céu
Em banho de estrelas... 
Sentimos-nos ganhando o beijo da lua
E um abraço de Deus!

Somente a poesia pura da alma
É capaz de enxergá-las e traduzi-las
Com olhos de humildade e gratidão
Por tamanha emoção que compõe jardins imaginários
De afetos inebriantes no coração. 
Através da minha poesia quero compor versos de alegria
Por essas pessoas diferenciadas por sua estrela de brilho interior
Capazes de promulgar sua áurea de paz
Através da arte pintada nas telas íntimas do seu mágico ser!

Essas pessoas têm alma perfumada
Por que são abrasadas de amor
São pessoas especiais porque são honestas nas atitudes
São sinceras e compassivas
Tem coragem de si doar aos outros sem nenhum interesse oculto
Pessoas especiais se importam com a felicidade dos outros
E os ajudam a conquistá-la, tornando a vida mais bela e mais feliz!

Essa é a diferença que faz um ser especial
Desejo a essas pessoas um canteiro de felicidade
Que nas suas primaveras colham as flores da alegria
Em abraço de bondade de Deus derramadas em amor
Para no inverno doar-me esse amigo de sabedoria
Ensinando-me a lapidar a vida
E a abrir as janelas da minha inteligência
Para absorver com serenidade e humildade
O teu ensinamento de humanidade

Estes seres têm cheiro de colo de Deus
Porque refinam o meu e o teu existir
Ao lado delas acredito que o amor é possível
É espelhada nelas que moldo minha poesia
Que lhes oferto com amor!



Fotografia
por Regilene Rodrigues Neves

Hoje especialmente hoje
Resgato do meu íntimo
Uma foto tua
Colho dela os segredos do teu corpo
Onde deixei meus dedos percorrerem a emoção
Saudade foi viajando na lembrança...

Nós dois entre risos da alma
Perdidos no abraço da felicidade
Fui dedilhando percorrendo cada caminho
Que trouxesse de volta nossa alegria
Esquecida no tempo dos sentimentos
Senti o vento correr lá fora
Ia ao teu encontro...

Voltavas envolto de lágrimas felizes
Pegava-me no colo do amor
Despia de carinho cada pedaço que fora teu
Beijos cálidos teciam de intimidade
Aquele momento gentil

Sussurrava gemidos cobertos de aís
Findos de gozo
A alma tocada em êxtase
A pele confessa em delírio
Entregue as fantasias...

O regresso devolvido
Sentia a essência perfumada de corpos
Em noite nua
A lua encantada
Banhava a rua
Que m’alma encontrara a tua...

Atos da noite cheia de mistérios
Não tinha segredos
Tomada de prazer percorria
A direção das plácidas montanhas
Em pouso de paz!

Sentinelas circundavam em vigília
Guardiã da poesia roubada
No cenário do amor!

Hoje não mais o poeta se entrega
Sua efêmera passagem de lembranças sonhara...
Acordada estava abraçada a tua fotografia
E para mim ela sorria cúmplice
De um sentimento que jamais morreria
Nosso amor!




Mais Uma Vez
Autora - Regilene Rodrigues Neves

Voa alma voa
Voa no teu vôo de paz
Viaja no teu céu de quimeras
Alcançarei-te quando etérea
Em meu peito pousar um dia
Sei que estará em algum lugar
Da dimensão sôfrega do meu eu
Sinto-te inquieta a me procurar
Continuo aqui como sempre
Imperfeito mais fiel do seu amor
Mesmo sozinho sei que voa errante em mim
Por vezes quando a lágrima da solidão
Chora no solitário coração
Pressinto-te a me sondar

Querendo me guiar em sonhos desacordados
De pássaro a voar seu vôo de liberdade
Quando te vi lá nas montanhas
Perto do céu azul
Senti-te tão linda que meu mundo amanheceu
Trajado de sol festejava livre em algum jardim
Entre flores

Quanta essência podia até mesmo tocar teu perfume
Tão suave e doce de felicidade
Voa alma minha esparrama tua alegria
Deixa entranhar tua energia em louvor de amor
Se sinta livre feliz sei que estás
Eu do cálido sono hei de acordar
Meu peito mais de uma vez te sentir
O verdadeiro sentimento tem esperança mais uma vez

Quando te senti o sonho aconteceu
Quando te senti o universo sorriu
Quando te senti uma estrela circundavas
Por entre sonhos meu que sonhara

Mas você se foi sem mim
Talvez voando noutros jardins
Entre alguma rosa em afeto de outro amor
Não mais meu sonho
Voa alma voa para que eu possa sentir mais vez...

Em 16 de julho de 2005

 


 Visite outros poemas da autora nos sites abaixo:

 

http://www.recantodasletras.com.br/autores/regipoeta

http://www.poetasdelmundo.com/verInfo_america.asp?ID=1317

http://www.ferool.info/regilenep2.htm